R. Voluntários da Pátria 190 / sl 526
Botafogo - Rio de Janeiro
(21) 98176-1823 (whatsapp)
(21) 2246-5575
recepcao@novaclinic.com.br
Email

Doppler obstétrico

Doppler obstétrico

O Doppler é uma avaliação complementar a ultrassonografia e tem como propósito medir a resistência de um determinado vaso sanguíneo ao fluxo em seu interior além do índice de pulsatilidade do vaso. O aparelho de ultrassonografia, através de um sistema específico, converte o fluxo sanguíneo em uma imagem a cores permitindo a identificação dos pontos a serem medidos.

Esta ferramenta tem grande importância na Obstetrícia. No 1o trimestre, o Doppler é importante na confirmação do óbito embrionário, na gravidez ectópica íntegra e na mola hidatiformes em sua forma invasora. No 2o e 3o trimestre, a função do Doppler é avaliar a circulação uteroplacentária, fetoplacentária e fetal. No caso da avaliação uteroplacentária, as medidas de resistência e pulsatilidade das artérias uterinas podem estar alteradas predizendo um risco aumentado para crescimento intra-uterino restrito do feto e doença hipertensiva na gestação. A avaliação da circulação fetoplacentária e fetal permite determinar a vitalidade do bebê. A artéria umbilical mostra uma baixa resistência durante a gestação e sua medida próxima a inserção na placenta é recomendada.

Quanto a circulação fetal, as artérias cerebrais médias são os vasos mais importantes e apresentam índices de resistência elevados na gestação. Aorta, carótidas, artérias renais e hepática e veias cava superior e inferior também podem ser avaliadas. Um dos sinais mais claros de sofrimento fetal e hipóxia intra-uterina é a adaptação circulatória. Este fenômeno pode ser identificado precocemente através do Doppler. Neste fenômeno, mais conhecido como centralização fetal, os índices de resistência das artérias umbilical e cerebral média se invertem indicando que o feto está priorizando órgãos nobres como o cérebro em detrimento de outros como pulmões, intestinos e sistema músculo-esquelético.

O Doppler também tem grande importância nas gestações gemelares para o diagnóstico de uma condição obstétrica grave chamada de síndrome de transfusão feto-fetal onde um gemelar (doador) mostra sinais de expoliação como baixo peso, diminuição do líquido amniótico e restrição do crescimento enquanto o outro gemelar (receptor) mostra sinais de congestão como ganho súbito de peso, aumento do líquido amniótico e macrossomia.